09 mar

Assessoria de imprensa e cinema: 4 Perguntas – Paula Bueno

Da dupla cinema + pipoca com certeza você já ouviu falar bastante e pode até ser fã de carteirinha, mas o que vem fazendo sucesso no desenvolvimento profissional e pessoal é o livro “Coaching com Cinema e Pipoca 2”, da Editora Espaço Acadêmico.

O blog da B4Tcomm aproveitou a semana mais famosa do cinema mundial e convidou uma das co-autoras do livro, Paula Bueno*, para responder 4 perguntas sobre como podemos aprender com o mundo do cinema e, principalmente, aplicar no mundo da assessoria de imprensa:

1) Na 90a edição do Oscar, realizada no último dia 04 de março, em Los Angeles, CA, muito se falou sobre diversidade, igualdade de gêneros e racismo. Você acredita que essas bandeiras também deveriam ser levantadas pelos profissionais de Marketing & Comunicação?

Paula Bueno: Depende muito. Penso que tem que se tomar muito cuidado nessa decisão. Particularmente não sou a favor de nenhuma campanha que possa segregar seu público. Na minha opinião, cabe aos profissionais de mkt & comunicação, acima de tudo, definir e identificar quem é seu público-alvo e traçar as ações necessárias para se comunicar com ele. Evitando ações e campanhas que possam segregar ou polemizar esse público, gerando dúvidas no consumo ou na continuação do consumo dos produtos dessa marca. A Dove por exemplo, criou no passado a campanha da real beleza, mostrando que a mulher é bela em sua essência, independente do corpo mais gordinho ou mais magrinho, da cor dos cabelos e de “possíveis” imperfeições. Na minha opinião, uma campanha belíssima, que conseguiu com sutileza e bom gosto falar sobre a importância da diversidade, a beleza em sermos diferentes. Por outro lado, recentemente a Renner lançou uma campanha que mostrava os rapazes usando roupas de meninas, sapatos de salto e vice-versa e a campanha não pegou muito bem, gerou polêmica e muitos não entenderam a mensagem. Outro exemplo muito feliz é o bebê Johnson de 2017 com síndrome de down, campanha lançada apenas nas mídias sociais, abordando um assunto delicado com cuidado e de forma muito tocante.

2) Quase sempre polêmicos, ainda mais com os últimos acontecimentos em Hollywood e organizações de movimentos como o #TimesUp, os discursos – tanto dos apresentadores, quanto dos vencedores – devem passar uma mensagem clara em um curto espaço de tempo. Como se preparar para entregar a mensagem perfeita para a audiência certa?

Paula Bueno: As primeiras perguntas que sempre faço nas empresas que presto consultoria são: você sabe quem é seu público? Para quem você quer vender? Para mim, a resposta para essas perguntas define todas as estratégias restantes, como por exemplo: lay out, linguagem, canais. Ou seja, para você entregar a mensagem perfeita, você precisa definir com quem você quer falar e o que você quer comunicar, ai sim é possível definir se a comunicação pode ser mais ou menos informal, se deve ser através do marketing tradicional ou do digital e por ai vai. Voltando ao exemplo da Renner na resposta anterior, a mensagem não foi clara. A marca atende um range de público amplo, do infantil ao adulto, sem restrições de idade, e com essa proposta de trocar as roupas entre os gêneros, não conseguiu passar uma mensagem clara do que estava propondo, ou seja, nem todo mundo entendeu.

3) Os filmes sempre buscam transmitir uma mensagem, fazer uma crítica ou mesmo ensinar por meio de seus roteiros. Pensando na assessoria de imprensa, que insights os porta-vozes de empresas podem ter se desenvolverem o hábito de analisar os filmes mais a fundo?

Paula: Quando entrei no projeto do livro Coaching com Cinema e Pipoca 2 eu optei por fugir dos filmes que por definição, são dedicados a reflexões, sejam elas, políticas, sociais, filosóficas, ou o que quer que seja. Optei por um filme de puro entretenimento, familiar, dedicado a muita diversão. E foi uma grande descoberta fazer esse exercício de “mudar o olhar” (como eu costumo chamar) e prestar atenção aos detalhes, tirando ensinamentos de um filme que parecia simples e frugal. Sem dúvida, penso que essa mudança de “olhar” é um hábito que deve ser adquirido. Quando estamos dispostos a analisar as coisas com mais profundidade podemos tirar lições e exemplos incríveis, e talvez o cinema, seja um dos convites mais deliciosos para se fazer isso.

4) O filme “Obrigado por Fumar”, de 2006, traz um porta-voz especialista em manipulação a favor da indústria tabagista, que luta para proteger o direito de fumar da nação, mesmo que isso possa matá-la. Como você avalia o tom dos discursos ativistas e como uma assessoria de imprensa pode ajudar na construção de uma mensagem-chave mais alinhada com os novos tempos?

Paula: Não sou a favor dos discursos ativistas na área de marketing, justamente pelo que comentei anteriormente, pois pode provocar a segregação do seu público-alvo. Penso que existem pessoas e áreas que podem e dever fazer isso bem melhor e de forma bem mais pertinente que não o marketing das empresas. A assessoria de imprensa pode e deve estar alinhada com essa definição do público-alvo e saber o que significa os “novos tempos” do ponto de vista de comunicação para esse público. Facebook,  se seu público for 55+ , poderá não ser tão efetivo. Saiba com quem você quer falar, alinhe essa informação com seus parceiros (incluindo assessoria de imprensa) e então você terá ferramentas para definir a mensagem-chave.

Pedimos para nossa entrevistada indicar alguns filmes que pudessem concorrer ao Oscar® na categoria “Como preparar um porta-voz antes de uma entrevista”. Confira!

a) Discurso do rei – 2010, ganhador de vários Oscar® entre eles de melhor filme.

O Príncipe Albert da Inglaterra deve ascender ao trono como Rei George VI, mas ele tem um problema de fala. Sabendo que o país precisa que seu marido seja capaz de se comunicar perfeitamente, Elizabeth contrata Lionel Logue, um ator australiano e fonoaudiólogo, para ajudar o Príncipe a superar a gagueira. Uma extraordinária amizade desenvolve-se entre os dois homens, e Logue usa meios não convencionais para ensinar o monarca a falar com segurança.

 

b) Conspiração e poder – 2015

Durante a reeleição, uma jornalista suspeita que George W. Bush mentiu sobre sua participação na Guerra do Vietnã. A denúncia, que vai ao ar pela TV CBS, desencadeia um jogo de intrigas e pressões políticas que abala a credibilidade da emissora e pode mudar a carreira dos envolvidos para sempre.

 

c) Homem de Ferro – 2008

Tony Stark é um industrial bilionário e inventor brilhante que realiza testes bélicos no exterior, mas é sequestrado por terroristas que o forçam a construir uma arma devastadora. Em vez disso, ele constrói uma armadura blindada e enfrenta seus sequestradores. Ao voltar para os EUA, Stark aprimora a armadura e a utiliza para combater o crime.

*Paula Bueno é administradora de empresas com larga experiência nas áreas de marketing e vendas e especialista em relacionamento com o cliente e comportamento do consumidor. Bacharel em Administração de Empresas com Pós Graduação em Gestão do Cliente, MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas e Mestrado em Administração de Empresas pela FMU, atuou nos últimos 28 anos para grandes empresas nacionais e multinacionais.

Contato da autora: buenopl@terra.com.br

Leia mais sobre Assessoria de Imprensa

Baixe o E-book com dicas para chegar ao topo com Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *